Seja Mudança. Assista o vídeo.

Tendências educacionais digitais: 6 práticas para ficar de olho

Com o objetivo de superar os desafios impostos pela pandemia do coronavírus e o distanciamento social, em 2021, instituições de ensino investem em manobras para preparar crianças, adolescentes e jovens para o pleno exercício da educação a distância. Neste cenário, tendências educacionais digitais surgem como importantes mecanismos de apoio.

Se o objetivo é incorporar novas modalidades didáticas ao dia a dia escolar, o avanço da tecnologia e seus recursos oferecem diversos benefícios às escolas. Por exemplo, a utilização de ferramentas virtuais como aliadas do corpo docente no ato de proporcionar maior distribuição de informação e conteúdos.

Por apresentar ideias inovadoras e criativas, essas tendências educacionais podem sugerir abordagens pedagógicas capazes de transformar a rotina escolar. Para saber como, acompanhe este artigo produzido pela SM Educação

Revolução digital: aulas on-line e novas possibilidades

Antes de nos aprofundarmos sobre os recursos tecnológicos que podem auxiliar a Educação em tempos de pandemia, precisamos lembrar que a covid-19 gerou impactos tanto para estudantes quanto para as instituições de ensino em todo o mundo.

Neste cenário atípico, escolas e educadores encontraram diversos desafios para oferecer ensino a distância aos alunos, tendo em vista que não contavam com o suporte necessário. Já as crianças e os jovens não estavam acostumados a rotinas de estudos em casa.

Segundo dados levantados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), a pandemia do novo coronavírus afetou mais de 1,5 bilhão de alunos em 188 países, o que corresponde a cerca de 91% do total no mundo.

Para superar esses obstáculos e impulsionar novas metodologias, soluções educacionais e de aprendizado on-line ganharam espaço na rotina das melhores instituições. Veja, abaixo, algumas das tendências educacionais digitais mais utilizadas neste período:

Tendências educacionais digitais

Além dessas estratégias implementadas para auxiliar o pleno exercício da Educação Escolar, algumas práticas precisaram se adaptar para melhor atender às necessidade do ensino on-line e se manterem em sintonia com as  novas linhas pedagógicas. Por isso, selecionamos seis tendências educacionais digitais nas quais você precisa ficar de olho:

1. Aprendizado eletrônico (E-learning)

O  sistema E-learning é uma tendência educacional digital para promover a educação a distância em diversos modelos educacionais. Permite que estudantes tenham acesso a conteúdos educativos e aulas gravadas ou ao vivo.

Ao se mostrar cada vez mais acessível, prático e dinâmico, o E-learning se tornou um excelente meio de apoio para as aulas dentro de casa. Isso porque, além de ser útil no atual momento, tem grande potencial para os próximos anos, quando escolas passarão a investir em atividades na sala de aula e também no ambiente on-line

2. Profissionalização da educação a distância

Se antes os profissionais da educação precisavam se adaptar às mudanças impostas pelo ensino on-line, chegou o momento de encontrar melhorias para todos os processos de aprendizagem.

Olhando para o caminho percorrido até aqui, podemos identificar diversas plataformas capazes de transformar positivamente as aulas que antes eram ministradas por meio de lives, videochamadas ou do YouTube. Além de oferecer ferramentas completas, elas apresentam os seguintes benefícios:

  • Organização de cursos por módulos
  • Inserção de arquivos de exercícios e provas
  • Revisão e correção de atividades educativas
  • Apresentações de slides com conteúdo personalizável 
  • Chat interativo entre professores, alunos e responsáveis
  • Bibliotecas virtuais

Essas plataformas, se bem utilizadas, podem auxiliar no planejamento das aulas, na elaboração de provas e até mesmo em reuniões. Este é o caso do SIMPLIFICA, uma solução da SM Educação que oferece tudo que o educador precisa em um só lugar: gerador de avaliações, corretor automático, ambiente de relatórios e muito mais.

Com o SIMPLIFICA, professores cadastram suas turmas e alunos individualmente, fazem a correção das atividades, além de gerar relatórios que analisam o desempenho de cada aluno.

3. Plataformas de aprendizagem 

Agora que apresentamos os benefícios da profissionalização da educação a distância, que tal começar a definir as plataformas que serão adotadas em sua instituição de ensino?

Dentre as mais utilizadas, estão as plataformas de EAD (Zoom Meetings e Padlet, por exemplo), tornando possível que uma empresa ou escola possa desenvolver seu próprio modelo de ensino a distância. Além disso, é importante investir em ambientes virtuais que tenham como objetivo acompanhar e analisar o aprendizado de cada aluno.

Outro fator indispensável para o sucesso da atuação da escola na aprendizagem on-line é a implementação de plataformas de cursos e aulas como Hotmart, Descomplica e outras. Esses sistemas permitem que profissionais apresentem e vendam seus cursos e atinjam audiências qualificadas.

4. Fuja do óbvio com Data Analytics

Importante processo para a inspeção, transformação e modelagem de informações, a análise de dados tem como objetivo descobrir critérios úteis, informar conclusões e apoiar a tomada de decisões. E no ambiente escolar não poderia ser diferente.

É comum que algumas instituições de ensino tenham dificuldade para avaliar a efetividade do ensino e do aprendizado dos alunos. Diante disso  surgem os sistemas que medem o desempenho a partir de dados, para facilitar a busca por melhores resultados.

Essas análises contribuem para a decisão de quais ações pedagógicas deverão ser tomadas pela escola durante o processo de ensino, além de permitirem prestar um atendimento personalizado para cada aluno. 

5. Cultura Maker em casa

Maker significa a ideia de “faça por si”, “fazedor”, “faça por si mesmo”. É a cultura de que qualquer pessoa comum é capaz de construir, consertar, criar, inovar, modificar ou fabricar o que sentir necessidade. 

Essa tendência educacional digital possui quatro pilares:

  • Criatividade: tudo é possível ser criado, inventado, transformado, modificado.
  • Colaboração: o trabalho deve ocorrer em grupo, físico ou virtual, a capacidade de troca é a grande ferramenta a ser utilizada.
  • Sustentabilidade: toda solução deve ter o olhar para as questões sustentáveis e ambientais.
  • Escalabilidade: o que se produz deve ser possível de ser feito de modo escalonado.

Sendo assim, o movimento maker na educação sugere que cada estudante coloque a mão na massa para desenvolver com autonomia, protagonismo e criatividade diversos projetos e objetos.

6. Conteúdo educativo on-line 

Diante do cenário atual, em que as pessoas estão cada vez mais presentes no ambiente digital, as instituições de ensino se deparam com mais um grande desafio: como prender a atenção dos alunos?

Neste caso, nada melhor do que investir em conteúdos e materiais educativos em plataformas on-line. Consagrando-se como uma das mais importantes tendências educacionais digitais, essa prática torna o processo de aprendizagem mais atrativo, seja para os estudantes, seja para educadores que precisam buscar novos formatos. 

Um bom exemplo é a plataforma de conteúdos pedagógicos da SM Educação. Reúne diversos materiais educativos gratuitos que trazem temas essenciais para as atividades escolares, visando apoiar gestores, coordenadores, docentes, pais e alunos. 

Conteúdos pedagógicos

Deixe seu comentário