Seja Mudança. Assista o vídeo.

Novo Ensino Médio 2021: o que mudou e como a escola pode se adaptar

Para além da necessidade de assegurar as aprendizagens básicas para todos os estudantes, outro grande desafio do Ensino Médio na atualidade é garantir a permanência na escola e o desenvolvimento de habilidades e competências  dos alunos.

Isso pensando em contribui para que exerçam a cidadania, construam um projeto de vida e alcancem seus objetivos pessoais e profissionais após a formação básica.  

É o que descreve a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o documento que estabelece as competências e  habilidades essenciais para todos os estudantes, a fim de garantir um ensino de qualidade.

Hoje, vamos conhecer o que mais a BNCC  estabelece quanto a essa nova estrutura do EM, especialmente no que se refere a organização do currículo e distribuição das habilidades e competências para as quatro áreas do conhecimento (Linguagens e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas).

Acompanhe para saber como o Novo Ensino Médio pode trazer mais autonomia ao seu planejamento didático, assim como exigirá da escola o compromisso com a maneira de ensinar e formar esses estudantes.

As principais mudanças para o Novo Ensino Médio 

A demanda por um novo formato na última etapa da Educação Básica há anos vem sendo discutida no Brasil. 

Segundo o Ministério da Educação, mais de 70% dos brasileiros concordam que o Ensino Médio precisa passar por transformações. 

Isso porque o Ensino Médio é a etapa com maiores índices de evasão, o que reflete o desinteresse de parte dos jovens pela escola.

A metodologia proposta aos jovens precisa usar o conteúdo como uma ferramenta para conectar o conhecimento aos seus interesses,
desenvolver habilidades e competências que possam ser exercitadas no mundo do trabalho e na vida pessoal, e oferecer oportunidades para que ele tenha autonomia em seu processo educativo. 

Assim, o papel do Ensino Médio passa a ser desenvolver uma formação integral que apoie o jovem nos desafios que virão depois da escola.   

Com isso, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) trouxe propostas para uma nova abordagem de ensino e aprendizagem para essa etapa.

Currículos flexíveis com uma carga horária ampliada, conteúdos, habilidades e competências organizados por áreas do conhecimento, interdisciplinaridade, possibilidade de aulas remotas e muitas outras transformações.

Currículo alinhado à realidade dos jovens no Ensino Médio

Essa nova estrutura curricular flexível será dividida em aprendizagens comuns e essenciais e em Itinerários Formativos, oferecendo diferentes caminhos a serem escolhidos pelos estudantes e aproximando a escola de suas realidades.

A novidade de Itinerários Formativos possibilita aos estudantes aprofundar seus estudos nas áreas de conhecimento com as quais se identificam. 

Isso pode ser estendido, ainda, para cursos ou habilitações de formação técnica e profissional, o que vai contribuir para despertar o interesse dos jovens em acessar a escola e, consequentemente, para sua permanência e melhoria dos resultados do ensino.

Carga horária e ensino em tempo integral

Antes da mudança, era necessário a disponibilização de uma carga horária de 2.400 horas no Ensino Médio. Agora, a carga horária total passa a ser de 3.000 horas.

Desse total, 1.800 horas serão usadas para as competências obrigatórias, enquanto 1.200 farão parte dos Itinerários Formativos, que poderão ser praticados na mesma escola ou em instituições parceiras, considerando critérios estabelecidos pelos sistemas de ensino.

A reforma também visa a ampliação da oferta de escolas em tempo integral. Para elas, a carga horária é ainda maior, alterando-se para 1.400 horas anuais ou 7 horas diárias.

Com isso, a ideia é que, até 2024, o país atenda, pelo menos, 25% das matrículas da Educação Básica em tempo integral, conforme o Programa de Fomento à Implementação de Escolas em Tempo Integral. 

Benefícios do Novo Ensino Médio

Com essa nova organização, o objetivo é contribuir para a integração dos conhecimentos, favorecendo a formação profissional e técnica dos estudantes ao proporcionar um cenário com mais alternativas.

Pensar a dinâmica e a função do Ensino Médio, segundo a BNCC, é consolidar, aprofundar e ampliar a formação integral do aluno, que teve início na Educação Infantil e se encerra agora. 

Isso irá contribuir para que construam e realizem seus projetos de vida, em consonância com os princípios da justiça, da ética e da cidadania. (BNCC – pág. 471)

Principais objetivos

  1. Aprimorar o processo de ensino-aprendizagem nas escolas públicas de Educação Básica, com a consequente melhoria da qualidade da educação.

  2. Garantir o padrão de qualidade do material de apoio à prática educativa utilizado nas escolas públicas de Educação Básica;

  3. Democratizar o acesso às fontes de informação e cultura;

  4. Fomentar a leitura e o estímulo à atitude investigativa dos estudantes;

  5. Apoiar a atualização, a autonomia e o desenvolvimento profissional do professor;

  6. Apoiar a implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Como a escola pode se preparar para esse momento?

Pensando em todo esse contexto e novo cenário, será necessário que a escola seja o agente garantidor dos aspectos essenciais para a formação dos jovens, como mencionado nos parágrafos da BNCC. 

Assim, proporcionar experiências e processos intencionais que garantam as aprendizagens exigidas e promover situações nas quais o respeito à pessoa humana e aos seus direitos sejam permanentes.

Isso demandará ainda mais cautela e eficiência no planejamento escolar, desde a organização curricular até a escolha de materiais didáticos que atendam essas necessidades em suas propostas. 

Para que isso se concretize, é necessário que as redes de ensino e as instituições possam orientar seus currículos. E em suas propostas pedagógicas para colocar as demandas das juventudes em diálogo com os contextos locais. 

Algumas ações podem ser indispensáveis nesse momento: 

  • Abrir canais de comunicação para escutar as demandas dos estudantes;
  • Promover eventos para abrir um debate com a sociedade e entender o contexto desses jovens;
  • Entender os interesses e dores do corpo docente; 
  • Reforçar o compromisso com os fundamentos científico-tecnológicos; 
  • Avaliar a capacidade financeira e os recursos disponíveis;
  • Escolher os materiais didáticos mais adequados às novas diretrizes;
  • Oferecer melhores recursos para o ensino a distância;
  • Construção de parcerias para garantir sucesso na instauração dos Itinerários Formativos.

Conte com a SM Educação na adaptação ao Novo Ensino Médio

Ainda há muito a ser entendido sobre a nova fase do Ensino Médio. Por isso, a SM Educação quer seguir trazendo até você tudo o que estiver relacionado ao tema. 

  • Qual a melhor forma de planejar as aulas nessa nova proposta?
  • Como trabalhar os Projetos Integradores no dia a dia da sala de aula?
  • O que fazer para desenvolver a aprendizagem em cada área do conhecimento?
  • Pensando em auxiliar escolas e profissionais com todos esses questionamentos, estamos reunindo diversos materiais e informações em uma plataforma exclusiva e gratuita.

Que tal conhecer? Acompanhe tudo sobre a proposta de Itinerários Formativos, o trabalho organizado por áreas do conhecimento, ampliação da carga horária, novos formatos dos recursos didáticos, entre outras informações importantes para a comunidade escolar.

Encontre também materiais com todos os detalhes sobre o espaço de aprendizagem em que os estudantes são o centro do processo para desenvolver conhecimentos, habilidades, atitudes e valores.

Assim, poderão lidar com os desafios da sociedade contemporânea.

A educação nos move! 



 

Deixe seu comentário