Seja Mudança. Assista o vídeo.

A tecnologia no aprendizado de Inglês

O Brasil não poupa esforços para avançar nos rankings mundiais de proficiência em língua inglesa. Atualmente classificado na categoria de proficiência baixa, atrás de nações como Argentina, Nigéria e Costa Rica, o país já investiu em programas de mobilidade estudantil internacional, certificação para professores da rede pública e acesso a cursos de idiomas gratuitos. O tema dá margem a muitas discussões sobre escolas bilíngues, idade certa para aprender um idioma e multiculturalismo, por exemplo. Porém, um dos fatores mais impactantes no aprendizado de língua inglesa nos últimos anos é a internet. De tradutores simultâneos on-line a aplicativos de videoconferência, a tecnologia é uma grande aposta para a evolução na proficiência do idioma. Os instrumentos mediadores do aprendizado mudam no decorrer do tempo sob influência de diversos fatores como, por exemplo, a evolução tecnológica das sociedades e o contexto econômico e social de cada aluno. Alguns estudantes têm disponíveis internet de alta velocidade, computadores, webcams, entre outros instrumentos mediadores do aprendizado. Isso influencia diretamente na forma como suas habilidades cognitivas serão desenvolvidas para aprender uma língua estrangeira. Atualmente, podemos considerar que o acesso à internet foi bastante democratizado e difundido, principalmente por meio de dispositivos móveis. Assim, mais crianças dispõem de instrumentos mediadores e tecnologia para aprender inglês, o que implica em uma grande aproximação com o idioma. Elas podem ver vídeos, filmes, livros e conversar com falantes nativos da língua. A tecnologia é uma forma de impulsionar o aprendizado da língua até mesmo para alunos que não têm acesso a aulas de inglês formalmente.


No processo de aprendizado de uma língua estrangeira, a sala de aula funciona como um ponto de partida e local para tirar as dúvidas com o professor. O aluno precisa ir além e, por meio de instrumentos diversos, estender o estudo fora da classe. Para isso, aplicativos gratuitos para celular como Duolingo, Hello English e Babbel permitem estudar em casa, praticando reading e listening. Porém, as habilidades de speaking e writing são mais bem exercitadas com o feedback do professor, já que a programação dos aplicativos ainda não é capaz de avaliar criticamente a pronúncia, entonação, estilo e sintaxe do texto produzido pelo aluno. A tecnologia é uma ferramenta de apoio valiosa para potencializar o estudo de idiomas, apesar de não substituir o trabalho do professor e o material didático. Com os novos softwares, ferramentas de realidade virtual e inteligência artificial, a proficiência em língua inglesa estará cada vez mais presente na educação das próximas gerações.
COMPARTILHE ESTA HISTÓRIAShare on FacebookTweet about this on Twitter

Deixe seu comentário